Guarde o teu coração, porque dele procedem as fontes de vida (Pv 4.23.)

 

Um dos significados para a palavra carência é “falta do preciso”, isto é,  ausência de algo que se quer, que se tem necessidade. Para alguns, esse sentimento nasce em casa, quando não se tem um lar estruturado, e na tentativa de suprir tal necessidade, os bares, as igrejas, os amigos, a internet, os filmes, ou até mesmo as drogas, tornam-se meios de busca para o preenchimento do referido sentimento.

Em Gênesis 2.18, podemos ver que Deus se preocupou com a solidão do homem, por isso Ele mesmo criou uma companheira, ajudadora, para Adão. Podemos crer que Deus nos criou para relacionarmos uns com os outros. Mas o relacionamento nem sempre é fácil, podemos sofrer e causar sofrimento nas pessoas, por isso é preciso sabedoria lá do Alto para conduzir os relacionamentos que surgem na nossa vida. Outra questão é a confiança. Relacionamento requer confiança, porém podemos depositá-la nas pessoas erradas.

Os lobos em pele de ovelhas aparecem tanto para homens quanto para mulheres, causando confusão. Ganham a atenção e coração da pessoa, e quando se sentem “saciados”, procuram outras presas. Troca, rejeição, abandono, resulta, quase sempre, em carência. E essa triste experiência pode resultar num afastamento, isolamento, de tudo e de todos.

Na época em que fiz seminário, conheci uma jovem que sofreu muito com os relacionamentos que teve. Ela foi minha colega de sala, e contou-me que antes de se converter passou por poucas e boas na área sentimental. Ela se relacionou com um rapaz “problema”, o tipo “garanhão” que vemos por aí, e o namoro era um “vai e vem”, terminavam e depois reatavam. E quando ele não estava com ela, estava com as outras. Essa moça era filha adotiva, vivia num lar desestruturado, e não se sentia amada pelos irmãos, logo via no namorado um refúgio para sua carência. Ele, sabendo disso, se aproveitava da situação, e exercia forte influência sobre ela. Outro fator que contribuía para que essa moça se mantivesse “presa” a esse moço era o carinho dos pais dele para com ela.

Ela se entregou de corpo e alma ao tal rapaz. Não conseguiu se guardar, nem “guardar o coração”, acabou engravidando e teve que abortar o bebê. Certamente esse não era o plano de Deus para a vida dela, mas por não conhecê-Lo verdadeiramente, ela fez escolhas erradas e sofreu as consequências.

Conto essa história não como forma de expor a vida dessa preciosa irmã, mas por saber que essa experiência ajudou e tem ajudado muitas pessoas. Por meio dessa história podemos tirar muitas lições. Lição para você que é pai ou mãe: observe e aprecie mais o tempo com seu filho, ensine-o a guardar o coração. Você que é casado: converse mais com o seu cônjuge. Você que está solteiro: não se feche para a vida, busque a cura, o suprimento da sua carência em Deus, pois só Ele é a fonte completa de alegria.

::Jaqueline Santos Sales

Ministério Servos do Deus Altíssimo