Como levitas do Senhor responsáveis pela música na igreja, fizemos uma pesquisa com interesse de buscar algo que falasse sobre a música na Bíblia. Antes gostaríamos de lhe dizer que, tudo, inclusive a música é criação de Deus. Vejamos alguns versículos como prova disto: Neemias 9:6, Salmos 24:1 e 102:25, Jó 38:4-7. Em Ezequiel 28:13-15 podemos observar que Deus havia criado instrumentos musicais no mesmo instante que criou Lúcifer, o querubim de guarda, chefe dos anjos, cheio de luz, sábio e perfeito, até que em seu coração ele preferiu se rebelar contra Deus e usar seus poderes a favor do mal. Quando lemos Isaías 14:13-14 percebemos que ele, em seu coração, queria ser semelhante ao Criador, algo que Deus jamais permitiria, dar sua glória a outrem. Assim, Lúcifer e seus seguidores, sendo eles a terça parte dos anjos que habitavam os céus, foram lançados no inferno.
Antes disso, no cap. 38:4-7 do livro de Jó, encontramos um diálogo entre Jó e Deus, e percebemos que antes da fundação do mundo já havia música.
No livro de Gênesis, mais precisamente no cap. 4 versículo 21, conhecemos Jubal, a quinta geração de Adão e Eva, como sendo o primeiro músico a ser citado na Bíblia e que apenas se resume a este verso. Encontramos mais argumentos relacionados à música quando lemos sobre o Rei Davi.

Vejamos algumas de suas invenções: Davi designou 4.000 homens para louvarem ao Senhor (I Cr 23:5), homens estes que cumpriam seu dever em tempo integral (I Cr 9:33 e 16:37), todos eram peritos, ou seja, mestres no que faziam (II Cr 34:12), louvando ao Senhor com instrumentos (I Cr 23:5 e II Cr 29:27) e canções que o próprio Rei Davi criou (II Cr 29:30). Antes ainda de se tornar rei, quando ainda bem jovem, afastou um espírito mal que atormentava a vida do rei Saul, tocando sua harpa (I Sm 16:23).
Em Deuteronômio nos cap. 31 e 32 se fala que Moisés, possivelmente, como havia estudado música no palácio, compôs cânticos para que fossem ensinados ao povo de Deus. Perceba o poder de memorização que a música nos oferece. Vale-se salientar que após a passagem do Mar Vermelho o povo louvou a Deus com cânticos e danças (Êxodo 15:20-21), louvores conhecidos como cânticos de Triunfo. É citado em Apocalipse 15:3, que os remidos entoarão o cântico de Moisés e o cântico do Cordeiro, semelhante aquele do êxodo. Encontramos em Números 21:16-18 que o povo enquanto trabalhava louvava ao Senhor. Nas vitórias militares também eram comuns tais atos (II Cr 20:27-28). Ainda em II Reis 3:15 é dito que, enquanto um músico tocava para Eliseu, o poder de Deus vinha sobre sua vida. Antes disso, no livro de Esdras cap. 3:11-13 achamos algo interessante sobre a música cantada em altas vozes.
O livro de Salmos, nada mais é que poemas ou versos cantados, de acordo com o Hebraico, com acompanhamento instrumental, sendo 73 de autoria de Davi , 12 a os filhos de Coré dentre os levitas, 12 de Asafe, 2 de Salomão, 1 de Etã e 1 de Moisés. A palavra Salmos no Hebraico é Sheper Tehilim, que significa Livro dos Louvores. Havia ainda o cântico dos degraus, entoado quando subia-se ao templo de Salomão, para celebração de festas anuais, como, festa dos Tabernáculos, Pentecostes e outras, registrado nos cap. 120 a 134. Que lindo! A cada degrau, sendo eles num numero de 15, um cântico de louvor a Deus.
Algo interessante que talvez você tenha lido e não sabia é que em 71 dos Salmos e nos 3 cap. do livro de Habacuque encontramos a palavra Seláh, que quer dizer “pare e ouça.” Ficamos maravilhados ao saber de tal significado, pois nos próprios Salmos de que tanto lemos e recitamos, havia ali um espaço para a música instrumental, onde as vozes paravam, e os instrumentos continuavam a tocar. Muitas vezes encontramos essa expressão no início ou durante os Salmos, mas em outros, no final deles, o que nos traz a percepção de que alguns eram tocados e recitados de forma seguida, um atrás do outro. Glória a Deus Pai!
No Novo Testamento, mais precisamente no livro de Mateus 26:26-30, encontramos o episódio de Celebração da Páscoa, quando Jesus e os apóstolos cantaram um hino e foram para o monte. Que lindo! Jesus cantando! Perceba que a música ocupa um espaço enorme no coração de Deus quando vemos passagens como essas. Numa das passagens Bíblicas mais usadas em pregações, a parábola do filho pródigo, diz que quando o filho a casa retornou, o seu irmão ao voltar do campo ouviu o som da música, como motivo de festa pelo retorno de seu irmão (Lc 15:25). Não posso deixar esta fora! Paulo e Silas na prisão (At 16:25-26) lembram? O que fizeram em meio a adversidade? Oravam e cantavam hinos a Deus e foram libertos. O mesmo Paulo ainda deixou recomendações à igreja de Éfeso no cap. 5:18-19 e aos Colossenses 3:16. Em Tiago aprendemos que, aquele que está alegre cante louvores (Tg 5:13). Uma das últimas referências que encontramos é no livro de Apocalipse, nos cap. 4:8-11 e 5:9-12 onde é citado que os 4 animais e os 24 anciãos declaravam um novo cântico de louvor a Deus, cânticos estes interrompidos apenas uma vez por mais ou menos 30 minutos conforme Apocalipse cap. 8, por motivo não descrito na Bíblia.
Concluímos nossas palavras não apenas mostrando que há música na Bíblia, mas confirmando que como tudo, a música também é obra das mãos do nosso Senhor e por isso devemos utilizá-la para a glória do Seu nome!
“A música tem por finalidade glorificar a Deus e cumprir seus propósitos.”
Johann Sebastian BACH

Jefferson Sousa Paulino